segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Reflexão

Quando crianças, somos elásticos, hiperativos, alegres. Tudo é divertido, mesmo assim ainda reclamamos. Chega a adolescência e os problemas começam. Estudar cada vez mais, se apaixonar e trocar os brinquedos por responsabilidades.
Naquela linda manhã acordei, disposta a mudar minha vida. Seria o meu dia, a minha noite. As 24 horas em que mudaria a minha vida. Assim fiz meu ritual matinal, um pouco mais animada que o normal, me olhei no espelho e não me desgostei. Havia cortado o cabelo, o que muda tudo. Fui para o colégio. As mesmas aulas, algumas provas, notas razoáveis. Nunca minhas notas serão as mesmas. Ensino médio é algo que exige concentração demais de pessoas que imaginam demais. Após a aula, segui minha rotina, corri para chegar em casa. Vesti minha camisa listrada cinza e preta, jeans e all star. Almocei e fui para o curso. No curso conversei com meus amigos, estava realmente animada. A tarde passou rapidamente e logo eu estava em casa. Tomei um longo banho e fui para a casa de minha amiga. Nos arrumamos. Fiz o esforço de usar vestido, maquiagem e salto alto. Eu sou da geração do jeans e tênis. Olhei-me no espelho e gostei do que vi. Fomos à festa. Foi algo incrível, a aniversariante deslumbrante, o DJ excelente, tudo animado. Como sempre, o problema: drogas. Não digo as ilícitas, pois dessas eu não sei. As lícitas mesmo. Álcool. Os adolescentes como sempre, talvez por curiosidade ou por exibicionismo, bebendo. Alguns passam dos limites, outros apenas ficam mais animados. Sem mais rodeios, sem citar nomes, sem mágoas para com ninguém, a bebida estragou tudo. Pergunto-me por que servem bebida? Os adultos não conseguem ficar algumas horas sem ingerir álcool? Copos quebrados, corações quebrados, corpos machucados. Essas são as consequências do álcool em festas.

...

4 comentários:

[Kurt] disse...

Pois é... apesar de eu ser suspeito pra falar, porque eu também sou um, digamos assim, "usuário" da bebida, eu acho que o problema não está na bebida, mas na pessoa que bebe em si... sabendo dosar pra não se alterar, não fazer mal para a própria saúde e não prejudicar outras pessoas, não há problema. Mas hoje em dia quem se preocupa em, no meio da festa, quando começa a animação, perceber que já se foram três copos de cerveja, e que dali pra frente tudo pode acontecer ?

excelente colocação, Lari ;)

Anna disse...

sei do que você está falando .-.
fica assim não, amor. Qualquer coisa sua psicóloga particular tá aqui ;)

Tutu disse...

A infância era bem melhor, beber era coisa de gente grande, falar palavrão era engraçado e pegar na mão era namoro. A cada dia eu vejo mais adolescentes e menos crianças. Eu não bebo e nem julgo quem o faz, só é um vício inútil, nada mais. Os exibicionistas são desagradáveis mas é facil evitar com olhares de desaprovação.


ps: Cerveja é uma bebida horrorosa meu pai me traumatizou, me dando pra provar quando era pequeno, odeio o gosto desde então

Anna disse...

vamos repetir sim! xD bora combinar *o* acho que não vo na viagem dos grêmios, vou vadiar pela cidade -qq